Periódicos

Capa Arquivo Dra. Maria Olivier

O Memorial da Justiça Eleitoral Gaúcha realizou extensa pesquisa em exemplares do jornal Correio do Povo dos anos 1932 a 1937, período que abrange a primeira fase da Justiça Eleitoral brasileira. O trabalho foi uma das bases para a produção do livro "A Justiça Eleitoral do Rio Grande do Sul 1932 1937".

O material também traz um panorama das primeiras eleições ocorridas após a criação da Justiça Eleitoral, em 1933 (para a Assembleia Constituinte), 1934 (para o Parlamento Federal e dos estados) e 1935 (no Rio Grande do Sul, eleições municipais).

Abaixo, a descrição de algumas matérias coletadas. Para visualizar o documento na íntegra basta clicar nos links.

- Correio do Povo, 15 de janeiro de 1932: divulgado o anteprojeto do Código Eleitoral.

- Correio do Povo, 20 de janeiro de 1932: entrevista com o constitucionalista Sampaio Doria, que trabalhou na construção do anteprojeto do primeiro Código Eleitoral brasileiro.

- Correio do Povo, 26 de janeiro de 1932: Projeto de Código Eleitoral fica pronto. Fala do ministro da Justiça, Maurício Cardoso, com citações a Joaquim Francisco de Assis Brasil.

- Correio do Povo, 9 de junho de 1932: Coluna do jornalista Maurício de Lacerda sobre o voto feminino.

- Correio do Povo, 9 de março de 1933: Denúncia de tentativa de compra de voto no Espírito Santo.

- Correio do Povo, 21 de março de 1933: O "caso das religiosas que se qualificaram como eleitoras".

- Correio do Povo, 7 de maio de 1933: A morosidade nos trabalhos de apuração do pleito de 1933.

- Correio do Povo, 14 de maio de 1933: Procedimentos do Tribunal Superior Eleitoral após o pleito que elegeu os constituintes, no dia 03 de maio de 1933.

- Correio do Povo, 26 de maio de 1933: Denúncias de irregularidades no pleito de 03 de maio de 1933. Aponta os avanços da nova legislação que, no entanto, não seriam suficientes para alterar os costumes políticos do país.

- Correio do Povo, 11 de junho de 1933: Curioso caso de tentativa de estelionato envolvendo títulos de eleitor.

- Correio do Povo, 5 de maio de 1934: texto do articulista Marcelo de Andrade abordando a oposição ao voto feminino.

- Correio do Povo, 1º de setembro de 1934: Pouco mais de um ano após a primeira eleição com o Código Eleitoral de 1932, a reportagem aponta movimentas para a reforma do texto legal.

- Correio do Povo, 18 de setembro de 1934: Notícia sobre o assassinato de três membros da Frente Única no Município de Palmeira das Missões/RS.

- Correio do Povo, 19 de setembro de 1934: Quantidade de eleitoras em Porto Alegre e repercussões do assassinato de três membros da Frente Única no Município de Palmeira das Missões/RS.

- Correio do Povo, 29 de setembro de 1934: Trabalhos do Tribunal Regional Eleitoral do RS nos preparativos para o pleito legislativo de 14 de outubro. A matéria traz um pouco do cotidiano da Justiça Eleitoral gaúcha.

- Correio do Povo, 26 de maio de 1936: Notícias sobre a morte do juiz eleitoral Moysés Vianna, no Município de Santiago do Boqueirão/RS, durante realização de eleição suplementar para a prefeitura do município.

- Correio do Povo, 16 de junho de 1936: Denúncias de violência em eleição suplementar no Município de Encantado/RS.

- Correio do Povo, 15 de janeiro de 1937: Artigo sem autoria tratando do "dever de votar". Ao tratar dos eleitores ausentes aos pleitos, o texto discute também os limites da legislação eleitoral que se construía após a Revolução de 1930.

- Correio do Povo, 3 de março de 1937: Procuradores eleitorais entregam ao Ministro da Justiça propostas de alteração no Código Eleitoral. Entre os pontos abordados está a sugestão de obrigar todos os estabelecimentos do país a aceitarem o título eleitoral como prova de identidade. Nesta época o título trazia a foto do eleitor.

- Correio do Povo, 20 de abril de 1937: Tribunal Superior Eleitoral avalia possíveis máquinas de votar. O Código Eleitoral de 1932 já previa esta possibilidade.

- Correio do Povo, 21 de maio de 1937: Matéria traz informações sobre a eleição presidencial que ocorreria no ano seguinte. O pleito não foi realizado. Em novembro de 1937 um golpe de Estado inaugurou o Estado Novo, que perduraria até 1945, sempre com Getúlio Vargas à frente do Poder Executivo.

- Folha da Tarde, 9 de setembro de 1937: Matéria que narra a história de Manuel Flores, fotógrafo que inventou uma máquina de votar em Itaqui, no RS.

- Correio do Povo, 17 de novembro de 1937: Brasil sob o Estado Novo. Um golpe de Estado mantém Getúlio Vargas no poder. A ditadura duraria até 1945.

- Correio do Povo, 17 de novembro de 1937: Estado Novo. O adesismo do jornal fica evidente no título e nos subtítulos: "Democracia com característica de um estado forte"; "Unificação Nacional"; "Equilíbrio entre os poderes".

O projeto de urna eletrônica brasileira começou a ser desenvolvido em 1995, com a criação da "Comissão do Voto Informatizado".

Acesse aqui um pequeno apanhado do acervo de matérias relativas ao tema coletadas pelo Memorial da Justiça Eleitoral Gaúcha.

Parte do acervo foi disponibilizado ao Memorial pela Juíza Eleitoral Maria Olivier, de Caxias do Sul, que desde os anos 1980 arquivou periódicos relativos à Justiça Eleitoral.