Centro da Juventude Cruzeiro recebe palestra sobre participação política

Servidores da EJERS conversaram com jovens da Vila Cruzeiro sobre democracia, cidadania, participação feminina e representatividade

Servidores da EJERS conversam com jovens da Vila Cruzeiro sobre democracia, cidadania, participação feminina e representatividade

Na quarta-feira (18), às 15h, a Escola Judiciária Eleitoral do Rio Grande do Sul (EJERS) apresentou a palestra “Papo Cidadania”, no Centro da Juventude (CJ) Cruzeiro (Rua Mariano de Matos, nº 107 - Santa Tereza), para jovens de 15 a 24 anos.

O servidor da EJERS, Dione Santos de Almeida, iniciou a conversa questionando aos jovens o que é a democracia. Explicou, também, sobre o sistema eleitoral brasileiro: como funciona o segundo turno, qual é a diferença entre votos brancos e nulos, o que significa uma democracia representativa e dúvidas sobre candidaturas e o significado da cidadania. “Estamos aqui para fazer vocês pensarem sobre as suas escolhas”, defende.

Karen Fróes, servidora da assessoria da Presidência do TRE-RS, continuou a palestra, desta vez direcionada às meninas do CJ Cruzeiro. Iniciou, dessa forma, comentando um pouco sobre a sua experiência de vida. Em seguida, trouxe dados sobre participação feminina na política e sobre violência contra a mulher. Para Fróes, nós não vivemos em uma democracia representativa no Brasil. “Por isso, é preciso que uma olhe pelas outras e que lembremos disso na hora de que formos votar”, enfatizou.

Complementando a conversa, a coordenadora da EJERS, Débora Vicente, finalizou o evento. Entre outros temas, falou sobre representatividade, feminismo e o desânimo dos jovens brasileiros em relação à política. “Uma das grandes mensagens que eu queria deixar para vocês, hoje, é esse interesse por política. Porque para mudar esse quadro em que vivemos, é só com conscientização. E é o que estamos fazendo aqui”, conclui.

Também participaram do evento os servidores da EJERS, Tenísia Cruz Klein e Selma de França Aguiar.

Centro da Juventude Cruzeiro

O Programa de Oportunidades e Direitos (POD) foi criado para oferecer mais qualidade de vida às comunidades. O POD visa criar, por exemplo, oportunidades para que os jovens tenham mais dignidade e estabilidade em suas vidas. Para isso, há seis Centros da Juventude que oferecem qualificação profissional e atividades de lazer.

E o Centro da Juventude (CJ) Cruzeiro é um desses. Atendem, no turno da tarde e da noite, cerca de 150 alunos por dia. Oferecem tanto cursos profissionalizantes como atividades socioeducativas. Algumas das atividades são: Barbearia e Embelezamento, Culinária, Auxiliar Administrativo, Educação Financeira, Empreendedorismo, Esportes, Fotografia, entre outros.

Segundo a coordenadora-geral do CJ Cruzeiro, Ísis Monteiro, a ideia é que os jovens consigam preencher suas semanas com diversas atividades. “A criação do Centro é direcionada a um público que não possui políticas públicas para si”, acrescenta.

O projeto também conta com instituições e organizações parceiras no atendimento aos jovens do POD e suas comunidades. A Central Única das Favelas (CUFA) é uma delas, responsável pela organização da sociedade civil gestora do Centro da Juventude Cruzeiro.

+ Galeria de fotos

Texto e Imagem: Carolina Pastl
Supervisão: Daniel Campos
Coordenação: Cleber Moreira
ASCOM/TRE-RS

Últimas notícias postadas

Recentes