1º Encontro Nacional de Acessibilidade e Inclusão ocorre em Brasília

Legislação, tecnologia e arquitetura foram alguns assuntos tratados no encontro

TRE-RS: ENAI

Nos dias 19 e 20 desse mês, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) promoveu o 1º Encontro Nacional de Acessibilidade e Inclusão: desafios e oportunidades para implementação da legislação, na sua sede, em Brasília. Cerca de 350 servidores representantes de tribunais federais de todo o país compareceram ao evento. A assessora de Planejamento Estratégico e Desenvolvimento Institucional do TRE-RS, Magda Andrade, membro do Comitê Valor Público - núcleo socioambiental e acessibilidade, representou o Regional gaúcho, na ocasião.

O evento apresentou uma extensa programação com renomados palestrantes. Legislação, tecnologia e arquitetura foram alguns assuntos tratados no encontro.

A abertura foi feita pela presidente da Comissão Multidisciplinar de Acessibilidade e Inclusão do STJ, ministra Nancy Andrighi. Em seu discurso, ela manifestou o desejo de que o evento permanecesse na memória de todos, devido a sua alta produtividade. Segundo a ministra, tendo em vista o expressivo percentual de pessoas com deficiência que ainda estão à margem da sociedade e sem acesso aos direitos fundamentais, o encontro é a oportunidade de discutir como essas pessoas podem exercer, plenamente, esses direitos. “Queremos compartilhar experiências bem-sucedidas. Abrir a mente para troca de informações, diagnosticar problemas e quebrar paradigmas”. E continuou, “devemos deixar para trás a exclusão e a segregação e lembrar que todos, em algum período da vida, precisaremos de algum recurso de acessibilidade”.
 
Durante os dois dias do congresso, o tema acessibilidade foi discutido sob vários aspectos. O evento contou com palestrantes que, mesmo com restrições físicas, conquistaram reconhecimento profissional nas áreas em que atuam, como: o procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União, Sérgio Caribé; o desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 9º Região, Ricardo Tadeu Fonseca e a médica Izabel Maria Loureiro Maior, a primeira pessoa a comandar a Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

No evento, Andrighi informou que o STJ tornou-se o primeiro tribunal a utilizar o recurso OCR (reconhecimento óptico de caracteres), em todos os processos.

Também, foi realizado o lançamento da cartilha "Como construir um ambiente acessível nas organizações públicas", organizado pelos membros do acordo de cooperação técnica para a Rede de Acessibilidade. A publicação tem o intuito de conduzir o gestor pelos caminhos da acessibilidade, promovendo a igualdade e a cidadania, como formas de garantir a inclusão social e a ativa participação de pessoas com deficiência na sociedade.

Texto e Imagem: Rodolfo Manfredini
Supervisão: Daniel Campos
Coordenação: Cleber Moreira
ASCOM/TRE-RS

Últimas notícias postadas

Recentes