Servidores recebem curso de formação em cidadania

Objetivo é capacitar para transmissão de informações de forma que eleitores possam fazer escolhas com autonomia e discernimento

TRE-RS: Fofo

Nos dias 5 e 6 de setembro, a Escola Judiciária Eleitoral do Rio Grande do Sul (EJERS) promoveu o curso Formação de Formadores - Cidadania. O evento, destinado a servidores da Justiça Eleitoral, foi realizado na sala de treinamentos do TRE-RS, localizada no 3º andar do Edifício Assis Brasil, em Porto Alegre.

O curso tem como objetivo capacitar servidores das Secretarias e dos Cartórios Eleitorais para atuar em projetos focados na cidadania e contribuir para que os eleitores possam fazer suas escolhas políticas de maneira autônoma e com reflexão crítica.

A equipe da Escola Judiciária Eleitoral de Minas Gerais (EJEMG), idealizadora do projeto, foi responsável por transmitir os conhecimentos, estruturados em eixos temáticos, a uma plateia composta por servidores da Justiça Eleitoral gaúcha, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e dos TREs do Acre, do Amapá, da Paraíba, do Piauí e de Sergipe. A juíza-auxiliar da Presidência do TRE-MG e diretora executiva da EJEMG, Roberta Fonseca, também esteve presente no curso.

No discurso de abertura, a presidente do TRE-RS, desembargadora Marilene Bonzanini, saudou os presentes. Enfatizou a importância da realização de cursos direcionados a capacitar servidores para difundir para a sociedade conhecimentos relativos à cidadania, tendo em vista que é “a partir dela que se constrói todo o processo eleitoral”.

No painel Segurança do Voto Eletrônico, as servidoras Valéria Machado e Marinéia Marques explicaram como os servidores podem transmitir aos cidadãos aspectos técnicos que envolvem o processo eleitoral, no caminho percorrido desde a preparação das urnas até a contagem dos votos.

No painel Discurso Institucional, os palestrantes Lara Marina Ferreira e Marcelo Bortolo alertaram para a necessidade de que os servidores adotem um discurso objetivo, visto que, ao tratar de ações relacionadas à cidadania, eles estão representando a Justiça Eleitoral, e por isso têm de apresentar os valores e os objetivos da instituição. Os posicionamentos pessoais devem ser evitados e as informações fornecidas fundamentadas em dados concretos.

Ferreira e Bortolo também apresentaram o painel Desinformação (Fake News). Tendo em vista que o fenômeno não é novo, mas a compreensão teórica é nova, foi explicado o conceito de fake news e seus tipos, e apontados os detratores, que espalham a desinformação. O fenômeno não é algo que possa ser combatido, segundo Bortolo, mas pode ser enfrentado com dados concretos e ações como a educação digital para a cidadania.

No painel Técnicas de Apresentação, o servidor Antônio Neto apresentou elementos e recursos para que os formadores possam atuar com segurança e tranquilidade diante de eventuais dúvidas ou questionamentos do eleitorado.

Por fim, a consultora da EJEMG, Acácia Kuenzer, ministrou o painel Elementos Centrais para Plano de Aula. Foram apresentados fundamentos que justificam a utilização de metodologias com essas informações e exercitada a elaboração de um plano de atividades para ações de cidadania.

+ Galeria de fotos

Texto: Rodolfo Manfredini
Imagem: Isadora Garcia
Supervisão: Jônatas da Costa
Coordenação: Cleber Moreira
ASCOM/TRE-RS

Últimas notícias postadas

Recentes