Melhores reportagens do Rio Grande do Sul na área eleitoral são premiadas

Evento patrocinado pelo TRE-RS e ARI aconteceu na sede da Justiça Eleitoral gaúcha

TRE-RS 2 Prêmio de Jornalismo da JE RS

Nesta segunda-feira (7), foi realizada a cerimônia de premiação do 2º Prêmio de Jornalismo da Justiça Eleitoral do Rio Grande do Sul. A solenidade ocorreu no plenário do TRE-RS e contou com a presença de autoridades do Poder Judiciário, profissionais da imprensa e representantes das entidades parceiras do Tribunal gaúcho.

O prêmio de jornalismo da Justiça Eleitoral do Rio Grande do Sul é o resultado de uma parceria entre o TRE-RS e a Associação Riograndense de Imprensa (ARI), e tem como objetivo incentivar o debate sobre a cobertura jornalística no período eleitoral, além de valorizar e reconhecer o trabalho de jornalistas e estudantes de jornalismo, com atuação no Rio Grande do Sul. Foram avaliadas reportagens publicadas entre 01/03/2018 e 31/07/2019, sobre os seguintes temas: Cidadania e Democracia; Eleições, Justiça Eleitoral, Política e Reforma Eleitoral.

A presidente do TRE-RS, desembargadora, Marilene Bonzanini, lembrou o pioneirismo da Justiça eleitoral gaúcha em premiar reportagens que versem sobre temas na área eleitoral. Frisou que a premiação busca reforçar o reconhecimento da importância do trabalho jornalístico, além de proporcionar incentivo aos profissionais que trabalham em prol da cidadania e da defesa dos princípios democráticos. Recordou que nas últimas eleições a propagação deliberada ou involuntária de desinformação por meio das fake news colocou dúvidas na população sobre o processo eleitoral, que foram constantemente esclarecidas, com agilidade e prudência, pela Justiça Eleitoral. Por fim, exaltou a importância do papel desempenhado pela imprensa como colaboradora nesse trabalho.

O presidente da ARI, Luiz Adolfo Lino de Souza, enalteceu a iniciativa da premiação, que é um estímulo a aplicação de boas práticas e às diversidades de ideias. Salientou a importância do jornalismo e da Justiça. Ambos são essenciais para construir a percepção pública sobre o que afeta a realidade social.

Nesta edição do prêmio, o jornalista Armando Burd foi o homenageado. Com vasta atuação profissional na imprensa, atualmente, Burd exerce a função de colunista do portal do Jornal O Sul e do Diário de Santa Maria, além de ser comentarista da Rádio Pampa e apresentador da TV Pampa. Também atua como conselheiro da ARI.

Burd garantiu estar extremamente honrado em receber a homenagem e salientou importância do Tribunal Eleitoral e da ARI como garantias da sociedade. O TRE-RS garantindo a vontade do eleitor que, no momento de depositar o voto nas urnas, terá uma apuração precisa e rigorosa; e a ARI garantindo a defesa da liberdade de imprensa.

A jornalista Patrícia Comunello foi a vencedora do primeiro lugar, com a reportagem "Minuto Cidadão", publicada no jornal do Comércio. O segundo lugar foi para Naira Hofmeister, do Jornal El País, Edição Brasil, com a reportagem "Nem fascistas, nem teleguiados: os bolsonaristas da periferia de Porto Alegre”. Juliana Bublitz ficou com o terceiro lugar, pela reportagem "Urna eletrônica completa 22 anos sem registros de fraude”, publicada em GaúchaZH.

Na categoria Destaque Acadêmico, os vencedores foram Júlia Ozório de Abreu e, como coautor, Rafael da Silva Pereira, da Iguana Jornalismo, com o trabalho “Datafolha registra maior intenção de votos brancos e nulos desde 1989”.

+ Galeria de fotos

Texto: Rodolfo Manfredini
Imagem: Carolina Pastl
Supervisão: Daniel Campos
Coordenação: Cleber Moreira
ASCOM/TRE-RS

Últimas notícias postadas

Recentes