Em utilização desde 1996, o sistema eletrônico de votação e de apuração exige que as bases para o correto funcionamento da urna eletrônica comecem a ser preparadas muito tempo antes de os partidos definirem seus candidatos. O objetivo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é garantir a máxima segurança e sigilo do processo de votação.

Além de possibilitar auditorias no sistema que faz a urna funcionar, a tecnologia adotada permite a recontagem de votos por meio do Registro Digital do Voto (RDV) e sua comparação com o Boletim de Urna (BU), impresso logo após o encerramento da votação em cada seção eleitoral do país.

A Coordenadoria de Gestão de Informação do TRE-RS, através da Seção de Produção e Gestão de Conhecimento Técnico-Jurídico (SEPGE), e em parceria com a Assessoria de Comunicação Social, elaborou o guia SEGURANÇA DO VOTO afim de esclarecer as etapas do sistema de votação e os caminhos do voto até a divulgação dos resultados da apuração.

Clique aqui e acesse o guia.